Translation language

Total de visualizações de página

Follow by Email

quinta-feira, 11 de março de 2010

Vontade de ser gente...Pequena!



Despi-me das minhas vestes morais, o pudor que me intoxicava a alma se desfez em fumaça e eu voltei naquele dia a ser criança, comi doce me lambuzando, sujei o vestido com sorvete, brinquei de roda com as crianças, me empanturrei no cachorro quente.

Quem passava não me via e se me via me julgava como doida, louca, sei lá, eles que não tem coragem para serem crianças ao menos uma única vez na vida nunca entenderiam o que era aquilo, apenas ficarão olhando com aqueles olhos sedentos para fazerem igual sem coragem e tal.

Pela primeira vez aprendi a me deitar na grama e ficar namorando o pôr do sol, desejando que aquele dia não acabasse nunca, amando sentir a brisa a brincar com meus cabelos desarrumados, e nem me importei com meu total desalinho visual, apenas vivi aquele dia sem ter vergonha da criança que ainda sou.

Esqueci naquele dia meu, a correria do trabalho, os saltos que me doíam as pernas e a louça na pia, deixei de lado as noites nas boates e resolvi namorar a vida, amando cada momento belo que eu assim havia esquecido que o era, porém sempre esteve ali dizendo que não se cansara de esperar por mim.

Acabei descobrindo em cada instante que só se vive uma vez e quem se esquece disso perde a razão, pois louco é quem não se permite deixar levar pelos apelos dentro de si que desejam voar, tocar a grama, brincar de roda, amar o pôr do sol, sentir a brisa com os cabelos brincar, empanturrei de cachorro quente e de sorvete se lambuzar.

Amanhã? É um novo dia eu sei, terei que deixar de lado o que fui hoje, entrar no corre-corre do dia novamente, crescer, ser adulta em minhas decisões, estar alinhada visualmente,porém com a alma mais saudável tenho certeza que estarei, porque me permiti por um dia mergulhar nos tesouros dessa vida e me lembrar que fui criança um dia.

RAQUEL LUIZA DA SILVA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário