Translation language

Total de visualizações de página

Follow by Email

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Faça-se


Seco minhas asas imaginárias ao sol,
Cansadas de tanto cortar o espaço que abrigo em minha mente,
Uma espécie de mundo regido pelo que sinto.

Trago no peito um coração menino, desinibido,
Que se abre á vida de tal forma, que se é impossível entendê-lo direito,
Porém sempre á amar ao seu jeito.

Posso ter a leveza da pluma a transportar-se pelo tempo,
Vagando através de meus moinhos de vento,
Transpondo tantas terras e tantos mares, repousando em tantos lugares.

Com o que vejo traço histórias,
Com o que sinto crio vidas,
Sou um pouco do que crio, por isso me revisto de rosas e espinhos.

Fecho no tempo o rascunho da memória,
Sou poetisa, faço minha história.


Raquel Luiza

Nenhum comentário:

Postar um comentário