Translation language

Total de visualizações de página

Follow by Email

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Aprendi...


Certa fez resolvi fazer um rápido curso de cuidados com idosos,de início para mim era apenas um curso, já que tinha muito tenpo livre, não custava nada aprender mais um pouco.
Era uma turma animada de pessoas que já tiveram experiência ou cuidavam de idosos, o mais perto que cheguei era da porta do quarto da casa de minha avó á ver minha mãe a cuidar do meu avô e aquilo me assustava a tal ponto que começava a ter medo de envelhecer, não pelas rugas ou cabelos brancos, mas pela dependência e necessidade dos outros.
As aulas teóricas eram praticamenete coisas que já conhecia do colégio, á respeito de alimentação,higiene...Até alí estava fácil, pois bastava estudar,aprender e decorar para a prova escrita, o mundo não se parecia tão assustador ao ter que comer verduras e legumes, ter que tomar remédios nas horas certas ou sentir algumas dores, já havia passado por isso quando criança.
As aulas práticas no asilo da cidade, era como um desafio, alí estavam pessoas algumas com limitações,mas bem cuidadas, por monitores que os respeitavam, que zelavam por eles que cuidavam deles, mas que não substituíam o carinho de uma família, por mais carinhosos e atenciosos que fossem.
Aquelas aulas já não eram mais apenas teoria, mas sim aprendizado para a vida, vida está que tem início, meio e fim, mas que nem sempre o fim que imaginávamos um dia, envelhecer ao lado de uma família que nos acoberte com carinho e compreensão, não nos deixando ver o fim como um doloroso caminho lento e vazio, mas como uma fase pela qual muitos passarão.
Aqueslas pessoas estavam alí, longe de suas famílias, muitos a relembrarem do que foram e possuíam, alguns á esperarem o retorno para o lar, com o olhar triste perdido por entre as grades, como pequenos pássaros indefesos.
Eu vi meu avô até os ultimos momentos, adormeceu com um semblante doce de quem viveu a vida até em seus ultimos minutos, ao lado das pessoas que amava e que o amavam,ele adormeceu.
Envelhecer para mim hoje é poder sentir de forma doce a vida correr, como uma cascata a deslizar por entre as rochas, abraçando uma imensidão de caminhos, com passos lentos e com a convicção de que o oceano está próximo, indo,sempre indo...Nunca se esvaindo, sempre indo, para algum lugar desconhecido.
Envelhecer não é deixar a vida partir é deixar que ela simplesmente siga seu curso...

Raquel Luiza da Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário