Translation language

Total de visualizações de página

Follow by Email

domingo, 11 de setembro de 2011

...

Deita o homem por terra sua própria raça,
Ancorando sua fé nas terríveis e mortíferas armas,
Matando de fome e sede aquele que é sangue de seu sangue,
Como se no céu sobre suas cabeças não houvesse um Senhor de justiça,
Observai o que restou das colinas verdejantes,
Chorai por seus filhos oh terra de homens maus!
Pela terra de seios secos e úteros inférteis,
Pelo paraíso perdido na soberba do desejo de grandeza,
Grite enquanto ninguém te ouve em meio ao caos,
Por entre esses campos de dor semeados por tuas próprias mãos,
Enquanto raças se confrontam
E nação se levanta contra nação,
Chore enquanto podes ouvir a ti mesmo oh raça de homens maus!
Enquanto tuas lágrimas ainda encontram a terra seca para engoli-las,
Porque chegará o dia em que diante de Deus te prostraras,
E apenas teus atos serão contatos,
E pelo sangue de tuas mãos julgado,
A tua força e sabedoria de nada te servirão,
Erguerás os olhos para os céus e não mais haverão céus,
Nem tuas armas,
Nem o jugo com que aprisionavas o teu semelhante
Apenas seras tu e Deus...
Chorai enquanto podes
Aspirando a liberdade de teus sonhos,
Chorai pelos teus mortos,
Por aqueles que repousam em campas de injustiças,
E que pacientes aguardam pela terra prometida,
Chorai oh raça de homens maus...
Enquanto se aproxima o fim dos dias teus...


Raquel Luiza da Silva.

2 comentários:

  1. Às vezes, penso que só uma invasão ET poderia fazer a sociedade se unir. Mas desisto da ideia por que uns grupos iriam sair entregando uns ous outros...

    --
    Eduardo da Rocha Vieira
    http://leio.me

    ResponderExcluir