Translation language

Total de visualizações de página

Follow by Email

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Conexo.

Esse corpo preso á terra,
De poeira,
De pó,
De sopro,
Feito de matéria real,
Carne, sangue, mortal.
Deixa livre uma mente que vaga,
Sem peso,
Nua,
Sem nada,
E fundem-se num misto tão controverso,
De prisões, de liberdades...
De mundo conexo.
E sou livre enquanto vago,
Presa aqui me acho,
E a mente nua, translúcida,
Foge dessa terra,
Dessa carne viva, 
Desse sangue que corre,
Foge para longe,
Onde não há suspiro que fenece,
Nem tempo que corre.

Raquel Luiza da Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário